terça-feira, 27 de dezembro de 2016

O AUXÍLIO CÓSMICO - Capítulo 21 da Apostila do Carrossel de Luz

           A condição de líder de um grupo de estudos, neste nível espiritual, não depende somente do conhecimento intelectual. Depende acima de tudo, do grau de evolução que o Ser tenha alcançado enquanto Individualidade, na escalada evolutiva, uma vez que nesta forma de atuação, estará utilizando muito mais a sua Individualidade do que a sua Personalidade. Esta tarefa normalmente faz parte da programação inconsciente do Ser, atuando o estudo apenas como fator desencadeante do despertar desta condição, que já era inerente à Individualidade.
Embora para o consciente, para a Personalidade do Líder Grupal, este conhecimento, a princípio possa ter um caráter de novidade, para a sua essência constitui-se em conhecimento anteriormente adquirido que, quanto mais utilizado, mais será despertado, produzindo cada vez mais autoconfiança, à medida que os fenômenos verificados encontram ressonância no interior do seu Ser. O mesmo ocorrerá com os demais participantes, atraídos para este tipo de estudo, em função de seu grau evolutivo e da sua necessidade de despertamento espiritual.
Da mesma forma que as condições individuais são necessárias, o Auxílio Cósmico também constitui expressão do Plano Divino para a tarefa e irá manifestar-se com o despertar da Luz Interna de todos os integrantes do grupo, facilitando cada vez mais o contato entre a Personalidade e a Individualidade de todos, até que as duas cheguem a atuar em uníssono, e de acordo com a concretização da tarefa de cada um,  dentro Plano Divino.
Dentro deste Plano, os fenômenos que ocorrem no grupo, já estão encadeados no plano mental e emocional, sendo a sua manifestação no mundo fenomênico, apenas uma conseqüência da Orientação Superior de cada grupo.
O campo formado para este tipo de estudo cria condições de Raio X espiritual, onde cada vez mais a Personalidade tornar-se-á transparente à Luz emanada pela Individualidade de cada Ser. É necessário que cada participante esteja atento aos entraves produzidos pela Personalidade, tais como vergonha de se expor, sentimentos de culpa pelos erros cometidos no passado, manifestações de vaidade, orgulho, rigidez etc. É necessário compreender-se que a Personalidade resiste ao processo de transformação interior, pelo medo do sofrimento. A condição ideal seria a de que todos os integrantes do grupo se dispusessem a libertar-se de seus registros transpessoais negativos, sem o que a evolução pessoal fica estagnada. Como isto depende do livre arbítrio de cada um, nada deverá ser forçado. Em alguns casos, poderá ser sugerido, que a captação psíquica destes integrantes seja feita sem a sua presença no grupo, sobre cujo conteúdo este guardará total segredo, evitando causar-lhe sofrimentos desnecessários. Não há obrigatoriedade de que tais memórias sejam trazidas à consciência, até que esta esteja pronta para elaborar e assimilar a experiência vivida. Como dentro das Leis Cósmicas, o negativo está contido no positivo, a expressão de sentimentos negativos é permitida, para que ocorra o processo de transformação. O fato de que os sentimentos negativos sejam negados e reprimidos não significa que eles não existam; pelo contrário, eles estarão atuando como sabotadores internos, causando conflitos, sintomas físicos e doenças, e consumindo energia vital que poderia ser utilizada positivamente, na expressão dos Atributos Divinos já desenvolvidos pelo Ser.
Atualmente o Plano Divino já se encontra na fase de Revelação (Apocalípse), e os trabalhos realizados pelos grupos recebem toda proteção para a tarefa crística a ser realizada, desde que os componentes cumpram com seriedade as partes que lhes foram atribuídas. Estes devem empenhar-se na transformação interior, sem descuidar-se da vigilância às suas falhas de Personalidade (medo, raiva, radicalismo, negligência, impaciência etc.), que funcionam como porta de entrada para as interferências negativas.
É comum que os integrantes destes grupos tenham em suas vivências, desde a infância, experiências de fenômenos transpessoais e que sejam observados pelo Plano Superior, até que tenham chegado ao momento de sua prontidão para o início da tarefa espiritual. A partir daí, alcançar um estado de consciência elevado, torna-se cada vez mais fácil e freqüente, fortificando-se o canal energético de comunicação entre os integrantes do grupo e os Mestres, recebendo o discípulo ajuda sempre que o solicite e o mereça, independente das situações de vida que ainda lhe caiba passar. O fato de realizar tal tarefa não exclui nenhum Ser de vivenciar as situações reservadas ao seu próprio aperfeiçoamento.
       O Auxílio Cósmico poderá ser solicitado, sempre que necessário, no decorrer da reunião, pela simples invocação dos Mestres, dentro da crença religiosa de cada um. É adequado que pelo menos uma vez ao dia e nas situações imprevistas de descarga energética intensa, sejam realizadas técnicas de visualização de limpeza e proteção do ambiente, onde se realizam os encontros do grupo. São muito eficazes, nestes momentos, as invocações ao Arcanjo Miguel (para os da Crença Cristã).  Com a continuação das reuniões, o quantum energético positivo do ambiente ficará cada vez mais forte, podendo transmutar negatividades cada vez maiores,  reduzindo-se cada vez mais a possibilidade de interferências negativas.
Para que o Auxílio Cósmico atue é imprescindível a utilização da fé pelo próprio Líder Grupal e por todos os seus componentes, pois o medo e a falta de autoconfiança abrem espaço para interferências negativas, assim como as demais falhas de Personalidade. Durante séculos passou-se às pessoas a ideia de que o homem comum não tinha a possibilidade de entrar em contato com  os Seres Perfeitos, como o Mestre Jesus. Em verdade, Eles estão mais próximos de nós, do que se possa imaginar. A possibilidade de estabelecer este contato, contudo, como toda manifestação das Sagradas Energias dependerá de que o grupo ACREDITE QUE É POSSÍVEL...





[1] Texto de autoria de Sueli Meirelles.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

O SENTIDO DA VIDA HUMANA - Capítulo 15 da Apostila do Carrossel de Luz



       A compreensão do sentido da vida humana exige a compreensão da constituição essencialmente divina do homem e de seus vários níveis de funcionamento. Conforme o diagrama a seguir, podemos descrever cada indivíduo como sendo constituído por uma Essência Espiritual (a Chama Trina: Força, Amor e Sabedoria), que age como o núcleo de um átomo, ao redor do qual se agregam os elétrons que compõem as várias experiências vividas pelo SER e que irão compor seus registros inconscientes positivos, negativos e neutros (registros sem significado especial). Esta é a individualidade do Ser. A sua volta, como uma capa ou envoltório situa-se a Personalidade, a máscara social desenvolvida através do processo educacional que se inicia na infância e que vai se cristalizando no decorrer da existência terrena.
       No processo de autoconhecimento, iremos promover o esvaziamento dos conteúdos emocionais inconscientes negativos, bem como a integração das potencialidades inconscientes positivas, reduzindo conseqüentemente a atuação dos mecanismos defensivos apenas à função positiva de proteção do indivíduo em relação às condições de vida que caracterizam o mundo tridimensional.

            Após o trabalho de esvaziamento dos conteúdos emocionais negativos e de posse consciente de suas potencialidades intrínsecas, o ser humano estará apto a expressar a sua essência, num processo de iluminação de todo o Ser, quando então a Personalidade estará totalmente a serviço da Individualidade. Nesta condição, os registros inconscientes assumem a característica de Sabedoria. Tal processo costuma se realizar na última existência terrena, quando o Ser terá alcançado a Maestria, saindo assim do ciclo de nascimentos e mortes. Seus exemplos de vida tornam-se a pura expressão do Amor Divino pela humanidade como um todo, constituindo-se em modelos para aqueles que se empenham no próprio desenvolvimento espiritual. Consciente dessa condição de Ser em permanente processo de aperfeiçoamento, o indivíduo pode reconhecer-se como um Ser dinâmico, lidando com as várias experiências de vida no aqui-e-agora e delas extraindo aquilo que elas têm de positivo, como elemento de aprendizagem. Poderá então chegar a perceber que as aparentes pedras e tropeços que encontra pelo caminho da vida são, na Realidade Maior, gotas de luz que vão se acumulando no seu corpo causal, arquivo mental de todas as suas experiências, ao longo do tempo.




 De acordo com a ideia de que a própria Terra é um ser vivo em permanente processo de evolução cósmica, surge uma interligação intrínseca entre nós, seus habitantes e o nosso planeta como um todo. Tendo também os seus vários níveis de funcionamento, podemos afirmar que o nível físico da Terra corresponde ao resultado das ações concretas da humanidade, na terceira dimensão. Pelas atuais condições de devastação, miséria e desrespeito à natureza, podemos fazer uma avaliação quanto à qualidade das ações humanas sobre o planeta.
       Na Quarta Dimensão, o corpo emocional do planeta é composto pelo somatório das emoções humanas, resultando, nas atuais condições evolutivas da humanidade, numa egrégora densa e sufocante, principalmente nas regiões topográficas mais baixas (costeiras), uma vez que as energias mais pesadas tendem a situar-se ao nível do mar. Isto, segundo alguns estudiosos irá contribuir para uma série de alterações telúricas, que irão atingir principalmente essas regiões, na fase de reequilibração energética do planeta, quando então as energias negativas serão descarregadas no plano físico, ocorrendo a verticalização do eixo da Terra.
       No plano mental, o mesmo processo se repete, sendo o mental da Terra formado pelo mental dos homens. É interessante observarmos o status que costuma ser atribuído aos grandes cérebros da humanidade, sem que se leve em conta o seu nível de evolução moral e espiritual. Daí a utilização da inteligência em desacordo com as Leis Cósmicas, quando são criados instrumentos que causam destruição e sofrimento a todos os seres vivos do planeta.
       No plano espiritual, em sua opacidade, a Terra reflete o pobre nível evolutivo alcançado pelos homens. Segundo alguns autores, os corpos celestes que possuem luz própria são o habitat de seres altamente evoluídos, que igualmente já alcançaram seu processo de iluminação. Há anos atrás, uma reportagem de jornal se referia ao fato de que os astronautas russos da nave Mir teriam avistado pequenos pontos de luz sobre a Terra, cuja origem eles não souberam explicar. Estaria o nosso planeta entrando em sua fase de iluminação?...
       Quando tivermos alcançado as condições ideais para que a Terra seja reintegrada em sua verdadeira posição no Plano Cósmico, todos os níveis anteriormente citados estarão atuando de forma integrada e harmoniosa, consolidando-se assim a utopia da sociedade ideal, do paraíso na Terra. Quando a essência luminosa do planeta e da humanidade puder ser expressa através da crosta terrestre e das personalidades, tornando suas superfícies igualmente luminosas, ter-se-á construído uma sociedade perfeita, onde cada um estará ocupando o seu próprio lugar, segundo sua programação inconsciente de vida. Isto deixará a humanidade livre das inadequadas competições, frutos da sua ignorância quanto a um Plano Superior para a vida terrena. Uma sociedade onde cada um, ao mesmo tempo em que realizar o seu processo de aperfeiçoamento, contribuirá para o processo global de evolução, através dos serviços para os quais está naturalmente habilitado. Uma sociedade onde o trabalho será compreendido na sua função mais ampla de contribuição para um plano geral de aperfeiçoamento e evolução e onde a “esperteza” que promove o caos moral em que atualmente vivemos, será uma remota lembrança de um passado distante, na aurora evolutiva da raça humana. O esquema a seguir representa o planeta Terra evoluído, encaixado na sua posição de quarto chacra cósmico, onde se faz a evolução emocional, tendo a população de superfície desperta para mais uma etapa evolutiva, dentro do Plano Divino.

                                    



       Um aspecto que tem causado bastante polêmica entre as diferentes religiões é aquele que se refere à reencarnação. Mais uma vez percebemos que os maiores entraves estão associados às questões lingüísticas e à fragmentação do conhecimento, que impede a visão do todo. Em primeiro lugar, a compreensão dos significados de Individualidade e Personalidade, como partes constituintes de um SER Total, já facilitaria este entendimento. Enquanto a Individualidade é eterna e inominada,  impessoal e essencial, a Personalidade tem existência relativa ao plano da matéria, durante o período situado entre o nascimento e a morte do corpo físico. Ao passar pelo processo chamado morte, a Personalidade não voltará a existir novamente, transformando-se nos arquivos de seus aspectos constituintes (físico, sinestésico, emocional e mental inferior), dentro do Mental Superior da Individualidade, do qual irá constituir o Corpo Causal, podendo ser trazido à lembrança, através das técnicas de regressão de memória. Desta forma, podemos dizer que as religiões que  afirmam que só existe uma única vida estão corretas, compreendendo-se esta afirmação,  tanto no sentido de que o que existe é uma única Vida Eterna, ora no plano físico, ora no plano extra-físico (energia manifestada ora como onda, ora como partícula), como também no sentido de que a Personalidade de cada Individualidade vive apenas uma única  vez. Por outro lado, as religiões que afirmam que existem várias vidas estão se referindo às várias existências vividas; as várias Personalidades desenvolvidas pela Individualidade única, no decorrer de seu processo evolutivo. Assim sendo, se uma religião propõe a identificação do EU SOU (a Essência Divina do SER) com a Personalidade, defenderá a tese de que não existe reencarnação. Se uma religião propõe a identificação do EU SOU com a Individualidade, defenderá a tese de que o Ser volta à existência terrena. Como de um modo geral, os conceitos de Individualidade e Personalidade, atualmente estudados pela Psicologia Transpessoal, não fazer parte do conhecimento religioso, cria-se a polêmica que tanto tem afastado aqueles que poderiam ser irmãos em Cristo.
       Enquanto o objetivo máximo da existência humana é a ressurreição, Deus, na sua misericórdia, permite que o SER em processo evolutivo tenha várias oportunidades de aperfeiçoamento, uma vez que seria impossível que este alcançasse a Maestria numa única existência, saindo assim do ciclo reencarnatório. Desta forma, podemos entender que cada encarnação, existência ou Personalidade representa uma oportunidade de evolução para que a Individualidade desenvolva determinados atributos, até que tenha transformado todos os seus aspectos inferiores em qualidades, e possa submeter totalmente a Personalidade, ao comando da Individualidade, ou melhor dizendo, deixando de ter uma Personalidade, necessária, apenas, para a vida no espaço tridimensional.
Outros fenômenos, igualmente importantes, também podem ser explicados pelo conhecimento da Individualidade e da Personalidade como componentes do Ser Total, tais como a Transfiguração (vivida pelos Seres em sua última existência antes de alcançarem a Maestria) e as Aparições que tanto assustam os habitantes do mundo tridimensional.
O fenômeno da Transfiguração ocorre quando a Personalidade , já bastante evoluída, torna-se transparente, permitindo  que a Luz Interior da Individualidade iluminada a atravesse, tornando-se visível a outras pessoas. Este fenômeno é também chamado de Iluminação e descrito pelas religiões orientais, principalmente através dos ensinamentos de Mestre Buda.
Os casos de Aparição, por sua vez, são ocasionados pela condensação da energia de uma Individualidade, tornando-a visível no plano físico, ou pela elevação do estado de consciência de um sensitivo, permitindo-lhe ver Seres em outras dimensões de vida.
  O fenômeno da Ressurreição, último objetivo da existência terrena, ocorre por uma aceleração dos elétrons que compõem o corpo físico e este é potencializado à condição de Pura Luz, sendo absorvido pela Individualidade, ocasionando o desaparecimento do corpo físico, como aconteceu com o Mestre Jesus. A Ascensão, por sua vez, é realizada posteriormente pelo SER, na condição de Cristo Ressurreto, com contribuição energética grupal, para a absorção total dos corpos eletrônicos à Sua Essência. Damos a seguir, um esquema ilustrativo, para melhor compreensão do sentido de vida eterna e de multiplicidade de existências:




Texto de autoria de Sueli Meirelles, complementado por anotações da palestra de Hermano Feques, sobre Cosmogonia, realizada em 1987, na residência dele, em Raiz da Serra. Compartilhe. Isto ajuda a evolução do Planeta.

Compartilhe e ajude a formar a Massa Crística da nova Consciência Planetária.





quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A PERCEPÇÃO RELATIVA DO SER HUMANO - Capítulo 13 da Apostila do Carrossel de Luz

               
    Compreendendo o Ser Humano em sua totalidade CORPO-MENTE-ESPÍRITO, este potencial do inconsciente humano pode ser utilizado como recurso terapêutico para os casos em que a pessoa, por algum motivo, não possua condições para permitir que o material inconsciente, que precisa ser liberado, torne-se consciente, como nos casos de bebês em vida intra-uterina, crianças na faixa etária de 0 a 3 anos, pacientes psicóticos, pacientes em estado comatoso ou terminal, idosos acima de 70 anos ou de pessoas cujos registros tenham conteúdos emocionais de medo extremo (fobias e síndromes de pânico), quando o próprio conteúdo emocional, por seu grau de intensidade, dificulta o processo de liberação. Nestes casos, trabalhamos com uma sensitiva (pessoa com percepção extra-sensorial produzida pela maior quantidade de cristais de apatita na glândula pineal), induzindo-a, através de Hipnose Ericksoniana, a um estado superior de consciência, direcionando a sua percepção para a faixa de freqüência psíquica do captado. Por meio desse processo terapêutico, consegue-se o esvaziamento dos conteúdos emocionais bloqueados, uma vez que a captadora não viveu as experiências por ela captadas, estando assim dessensibilizada em relação aos registros traumáticos e, portando, permitindo a sua liberação natural. Ainda através da captadora, ressignificamos a experiência para o inconsciente do captado, levando-o a perceber que agora está em outro momento do tempo, não havendo mais necessidade de se manter ligado emocionalmente àquela experiência. Este poderoso instrumento terapêutico abriu-nos as portas para a compreensão do inconsciente profundo do ser humano e de inúmeros fenômenos que até então desafiavam o conhecimento científico. Através dele, descobrimos que o inconsciente funciona como uma imensa antena parabólica, capaz de captar simultaneamente estímulos visuais, auditivos e sinestésicos (sensações), independentemente da distância no espaço ou no tempo. Encontramos o que a Metafísica denomina de Corpo Causal (C.C.), um registro de experiências transpessoais (as chamadas vivências passadas - experiências que não se encaixam na história de vida atual do indivíduo) que influenciam o seu comportamento presente, sendo a causa de muitos sintomas e reações psíquicas não compreensíveis em termos de ciência convencional. Encontramos também o que denominamos de Módulo Organizador Bioplasmático (MOB), um princípio inteligente e pré-existente, que estabelece uma PROGRAMAÇÃO INCONSCIENTE DE VIDA, em termos de probabilidade, que poderá ou não ser cumprida pelo SER em sua existência.                                 
       Durante a aplicação da técnica, o captado poderá estar presente no grupo, não apresentando maiores reações, além de uma reação de ansiedade, causada pelo inusitado da técnica. No decorrer de mais de 21 anos de pesquisas, temos observado excelentes resultados terapêuticos para as várias sintomatologias, bem como uma aceleração (sem desrespeitar o ritmo próprio de cada pessoa) do processo de auto-conhecimento e da reintegração do indivíduo, em estado de equilíbrio em suas atividades de vida diária. Identificamos também, um considerável aumento de suas potencialidades naturais, pela ampliação de consciência resultante do processo como um todo.
                   No despontar desse novo século, em que uma nova metodologia científica vem sendo sedimentada, podemos desenvolver pesquisas para aprofundar o que, no decorrer desses anos de estudos, vem se descortinando diante de nossos olhos: Novas explicações psicológicas para questões como o desenvolvimento de um câncer, da AIDS, das doenças congênitas, das marcas de nascença, de reações psicossomáticas sem causa aparente, fobias, síndromes de pânico e até mesmo estados psicóticos que ainda desafiam o conhecimento científico, construído com base no racionalismo característico da visão tridimensional de mundo.
                   A Captação Psíquica, técnica desenvolvida pela pesquisadora, abre-nos uma passagem para outras dimensões de vida; para a compreensão daquilo que há séculos se constitui no anseio maior da humanidade: Descobrir de onde veio e para onde vai, confirmando, tanto tempo depois, o princípio do “Conhece a ti mesmo para conheceres o mundo”. Despertando-nos mais uma vez para o fato de que aquilo que procuramos no mundo externo tem uma representação no interior mais profundo de nossas mentes. Descobrindo que a mente humana é o lugar onde a verdadeira história da humanidade está registrada, como num imenso holograma, no qual cada parte contem a representação do todo, possibilitando-nos então compreender este maravilhoso quebra-cabeças que é a vida.

 Site: www.suelimeirelles.com





[1] Texto e gráfico de autoria de Sueli Meirelles.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

OS MECANISMOS DEFENSIVOS DO EGO - Capítulo 11 da Apostila do Carrossel de Luz


                        Os chamados mecanismos defensivos do Ego são recursos do psiquismo humano, cujo objetivo é proteger a pessoa de sofrimentos identificados como insuportáveis para o consciente. Estes mecanismos funcionam como uma barreira, filtrando o acesso das informações armazenadas no inconsciente, até o consciente. Este processo pode ocorrer de formas variadas, e cada pessoa pode utilizar mais um mecanismo do que outro, em função de sua estrutura de personalidade.
            Os mecanismos defensivos não são, em si mesmos, um sintoma que deva ser combatido, mas um processo necessário de equilibração entre a Individualidade e a Personalidade de cada indivíduo, diante dos estímulos da vida diária, até que níveis mais elevados de consciência de si mesmo possam ser alcançados por cada Ser em evolução. Cada mecanismo defensivo pode ter também sua contrapartida positiva, auxiliando o indivíduo a ultrapassar obstáculos internos ou externos. Ao falarmos de cada mecanismo, citaremos também os contextos em que eles podem funcionar positivamente, uma vez que toda situação tem dois lados e, para cada afirmação o oposto também pode ser verdadeiro. Mais uma vez, o ponto de equilíbrio está entre todos os extremos.
            O primeiro teórico a identificar estes mecanismos defensivos foi Sigmund Freud, o criador da Psicanálise. Ele cita sete tipos de mecanismos de defesa:

11.1 – Repressão – consiste num processo de censura que impede que desejos inconscientes considerados inaceitáveis pelo sensor moral, sejam livremente expressos. Este é um mecanismo muito utilizado em relação às questões de sexualidade e aspectos éticos que envolvam a noção de certo e errado. É o principal instrumento psíquico da educação rígida, tão comum na primeira metade do século XX, fundamentada em severos conceitos de religião e disciplina. São tópicos comuns da repressão: sexualidade, etiqueta social, tabus e preconceitos sociais, os quais constituem o modelo de cada geração, em termos de certo e errado. Por outro lado, a ausência total de limites, tornaria a vida social caótica, impedindo que o indivíduo percebesse a necessidade de respeitar os direitos dos seus semelhantes.

11.2 – Negação – É o mecanismo presente nos estados psicóticos diante de uma realidade considerada insuportável, do ponto de vista emocional, e com a qual a pessoa não sabe lidar. A negação tem a finalidade de evitar a fragmentação emocional do Ser (sentido figurado de coração partido). São tópicos comuns da negação: falecimento de entes queridos, doenças graves e situações de perda em geral, quando acima do limite emocional do indivíduo. Em alguns casos, entretanto, a negação de uma doença, por exemplo, pode facilitar o processo de cura.

11.3 – Projeção – É o mecanismo através do qual a pessoa projeta em outras, sentimentos e características pessoais não aceitas, fazendo-lhes críticas exacerbadas. São tópicos comuns da projeção: Todas as características de personalidade das pessoas. No sentido positivo, a projeção pode ser utilizada em mentalizações de ajuda a outras pessoas, projetando luz sobre elas.

11.4 – Sublimação – É o mecanismo através do qual uma tendência é expressa de um modo socialmente mais aceito. São tópicos comuns da sublimação: Tendências agressivas transformadas em atividades esportivas em geral; sexualidade exacerbada, traduzida em atividades criativas que, da mesma forma, expressam energia genésica.

11.5 – Introjeção – Consiste na absorção para si, dos problemas e sentimentos identificados em outros, gerando sobrecarga emocional, ocasionada por sentimentos de culpa ou idéia de não ser suficientemente bom. São tópicos comuns da introjeção: todos os comportamentos masoquistas, em que a pessoa se identifica com os problemas alheios. No sentido positivo, é o mecanismo presente na captação psíquica, a qual é realizada segundo critérios pré-estabelecidos de ajuda.

11.6 – Transferência – é o mecanismo através do qual a pessoa transfere sentimentos positivos ou negativos, originados numa relação anterior, para uma outra pessoa, a partir de alguma semelhança entre ambas, em termos físicos ou psicológicos. São tópicos comuns da transferência: Sentimentos negativos em relação a figuras de autoridade ou sentimentos de perda de entes queridos. No sentido positivo, a transferência permite que a motivação de vida se focalize em novos eixos, para que a pessoa possa dar continuidade à sua vida.

11.7 – Deslocamento – consiste na descarga de sentimentos gerados na relação com uma figura de poder, sobre outra pessoa considerada menos ameaçadora. São tópicos comuns do deslocamento: descarregar sentimentos de frustração e raiva, gerados no trabalho, no contexto do ambiente doméstico, em especial sobre crianças e animais, percebidos como mais fracos. Os deslocamentos podem ser positivos quando a descarga de sentimentos e deslocada contextos adequados.

            Frederic Perls, o criador da Gestalt-Terapia, uma outra escola psicológica, também se refere aos mecanismos defensivos do Ego. Além dos mecanismos já citados por Freud, Perls acrescenta dois outros:

11.8 – Deflexão – o mecanismo defensivo de deflexão leva o indivíduo a envolvimentos casuais com o ambiente, onde ele obtém ganhos também casuais e, na maioria das vezes, perdas, em virtude de seus investimentos sem focalização adequada. O indivíduo age como se não estivesse interessado no mundo externo, mostrando-se alheio a tudo e a todos. Tópico comum da deflexão: Fazer de conta que não se interessa por algo que deseja e acredita que não poderá alcançar. No sentido positivo está a própria tolerância à frustração.

11.9 – Confluência – Comum em estruturas de personalidade masoquista, a confluência consiste na entrega às influências do ambiente, deixando-se levar por elas, com o objetivo de reduzir as diferenças e moderar a experiência perturbadora das divergências. Tópico comum da deflexão: Todos os comportamentos diplomáticos e apaziguadores, em que a pessoa não emite a própria opinião para não se comprometer. No sentido positivo está a diplomacia, útil diante dos comportamentos mais exacerbados e combativos.
            Enquanto para Freud os mecanismos defensivos do Ego precisam ser vencidos pelo cliente, constituindo uma resistência ao seu crescimento interior, Perls os considera como partes integrantes do próprio psiquismo do indivíduo, que atuam movidas por intenções inconscientes positivas.

Este mesmo conceito está presente na Psiconeurolingüística, teoria de Bandler e Grinder, quando eles se referem a estes processos defensivos. Segundo esta moderna teoria da comunicação, são três os mecanismos defensivos que aparecem na linguagem:

11.10 – Generalização – consiste na expansão dos sentimentos de uma experiência única, para todo contexto onde exista a sua possibilidade de ocorrência. Tópicos comuns da generalização: Fobias em geral e experiências emocionalmente fortes, tais como traição e acidentes. Ex.: Queimar-se num fogão e considerar todos os fogões perigosos; ser traída e considerar todos os homens infiéis.

11.11 – Eliminação – como o próprio nome diz, consiste na eliminação de parte da frase descritiva do evento, a partir da supressão do objeto direto ou do objeto indireto que necessariamente complementa o verbo, dando margem a mal-entendidos. Tópicos comuns da eliminação: As próprias dificuldades de comunicação, ocasionadas por baixa escolaridade, propiciam campo para inúmeras eliminações. Ex.: Ele me feriu (quem fere, fere alguém com alguma coisa)

11.12 – Distorção – Consiste em acreditar-se capaz de saber o que ocorre na mente do outro, pressupondo e atribuindo-lhe intenções, com base na própria imaginação. Tópicos comuns da distorção: Personalidades dominadores e donas da verdade, que acreditam saber o que é melhor para os outros. Ex.: Ele agiu assim só para me ferir.

            Conhecer como estes mecanismos defensivos atuam em nosso psiquismo nos ajuda a compreender o comportamento de nossos semelhantes e a identificá-los em nosso próprio comportamento, como tendências que, quando tornadas conscientes, podem ser transformadas em comportamentos mais positivos. Somente atravessando as barreiras estabelecidas por estes mecanismos, chegaremos ao inconsciente mais profundo, onde estão potenciais desconhecidos a serem resgatados e as tendências negativas a serem polarizadas positivamente. Os mecanismos defensivos representam uma porta entre o consciente e o inconsciente, que precisa ser atravessada, para chegarmos à essência de nosso próprio ser e alcançarmos a condição de mestres de nós mesmos, com uma ampla consciência de todos os erros e acertos ocorridos ao longo de nossa trajetória evolutiva.






[1] Texto de autoria de Sueli Meirelles, baseado em Psicanálise, Gestalt-Terapia e Psiconeurolingüística..

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

O NOVO MODELO DA ESTRUTURA PSÍQUICA - Capítulo 10 da Apostila do Carrossel de Luz

       Para que possamos compreender o ser humano em sua totalidade e inteireza, torna-se necessária a criação de um novo modelo para a estrutura psíquica, capaz de abranger a Individualidade e a Personalidade do Ser.
       Segundo Aldous Huxley, autor de “As Portas da Percepção”, o ser humano é capaz de captar qualquer coisa, a qualquer momento, em qualquer ponto do Universo. Manter essa imensa antena captadora funcionando em sua totalidade, impediria o indivíduo de agir adequadamente, em relação ao mundo concreto, misturando percepções relativas ao plano físico e ao plano extrafísico. Para que isto não aconteça, os mecanismos de defesa do psiquismo atuam como um filtro, separando o consciente do inconsciente, deixando passar apenas os estímulos que sejam permitidos por este processo seletivo e que sejam úteis à vida do indivíduo no aqui-e-agora, ocorrendo uma espécie de afunilamento, do inconsciente para o consciente. Dessa forma, a maior parte das informações (cerca de 90%) fica armazenada no inconsciente, vindo à tona apenas em estados alterados de consciência, quando esta entra em expansão, tornando conscientes tais registros e percepções. A pequena parte restante (10%) mantém-se aberta e disponível à memória imediata. Para que possamos compreender melhor este novo modelo, vamos analisar por partes:
       O consciente compreendido como material disponível à memória imediata, é responsável por mais ou menos 10% da capacidade de percepção do ser humano. Esta forma de percepção está voltada para o mundo tridimensional e se expressa através de uma PERCEPÇÃO CONSCIENTE SELETIVA, já que o consciente só é capaz de perceber uma coisa de cada vez. Acima dele, identificamos os MECANISMOS DEFENSIVOS DO PSIQUISMO, que funcionam como um filtro, selecionando as informações que podem alcançar o nível de consciência de uma forma mais ou menos tolerável.
       A partir daí, a mente humana abre-se para o vasto campo do INCONSCIENTE, onde iremos encontrar os vários registros positivos, negativos e neutros, relativos às inúmeras experiências vividas pela Individualidade, ao longo de sua existência ou “fora” dela. Estes últimos registros são denominados REGISTROS TRANSPESSOAIS, por não se encaixarem na história de vida presente, embora provoquem reações sensoriais e emocionais no indivíduo.
       O inconsciente apresenta PERCEPÇÃO INCONSCIENTE SIMULTÂNEA, ou seja: Ele é capaz de efetuar vários registros simultaneamente, utilizando os vários canais de percepção sensorial e extra-sensorial, tais como a visão, audição, sinestesia, clarividência, clariaudiência etc. Também no inconsciente, situa-se o MOB – MÓDULO ORGANIZADOR BIOPLASMÁTICO, um princípio inteligente e pré-existente à matéria que, a nível energético, modula a forma psíquica e física do indivíduo, em sua existência no mundo da matéria, agindo como o núcleo de um átomo que agrega os elétrons à sua volta, atraídos por sua carga atômica. Uma outra estrutura, também presente no inconsciente é o C.C. – CORPO CAUSAL, representado pelo somatório das experiências positivas, negativas ou neutras, acumuladas pela INDIVIDUALIDADE (a essência do ser), ao longo do tempo. Esta última estrutura, atuando em conformidade com o MOB, é responsável pela qualidade dos sentimentos e forma física expressos pelo Ser no mundo da matéria, permitindo-nos explicar, através deste constructo, uma série de alterações genéticas e comportamentais. É ainda através dessa estrutura que se tornam possíveis os fenômenos de regressão, além da fase intra-uterina, quando encontramos registros que não se encaixam na história de vida da pessoa.
       Dentro da Visão Holística do ser humano, este modelo psíquico torna-se fundamental para o processo de autoconhecimento, na medida em que nos dá um referencial abrangente do ser humano, sem o qual muitas experiências por ele vividas ficariam sem explicação.
       Nossa mente possui 4 funções psíquicas opostas e ao mesmo tempo, complementares. Enquanto o pensamento e a sensação (aqui significando as percepções apreendidas através dos cinco sentidos) são voltados para a percepção objetiva, o sentimento e a intuição (percepção extra-sensorial, através dos estados alterados de consciência) voltam-se para o mundo subjetivo do próprio interior humano, através do qual se alcançam os mundos internos de todas as dimensões cósmicas.
       Na antiguidade, o subjetivo caminhava ao lado do objetivo, sendo comum que os líderes governamentais buscassem a orientação dos sacerdotes. Com o passar do tempo, houve um predomínio do religioso sobre o político, resultando nos horrores da Santa Inquisição. Como reação saudável a esse obscurantismo religioso, surgiu o pensamento iluminista, valorizando o raciocínio lógico (Descartes – Penso, logo existo) e as descobertas de Isaac Newton, no campo da Física Clássica (os fenômenos são determinados por leis – visão determinística). Esta reação de afastamento do subjetivo levou a humanidade ao outro extremo, repetindo-se o mesmo tipo de erro: se antes a religião negava o científico e a razão, hoje, a ciência nega o subjetivo e a religião, mais uma vez perdendo a compreensão da inteireza humana.
        Enquanto o pensamento e a sensação representam funções objetivas da mente, predominantemente voltadas para o mundo externo, o sentimento e a intuição constituem funções subjetivas, voltadas para percepções  internas ou extra-sensoriais. Nos estados alterados de consciência, quando a mente consciente se amplia, as quatro funções podem funcionar a serviço das percepções extra-sensoriais, oferecendo dados detalhados das informações captadas. Estas percepções incluem idéias ou interpretações sobre as ocorrências, sensações de frio, calor, pressão, dor etc., sentimentos mobilizados, e que não expressos quando da ocorrência do evento captado. O nível intuitivo funciona como o canal através do qual a mente inconsciente, utilizando sua Sabedoria Interna, poderá atualizar as percepções obtidas, para reintegração do psiquismo de uma forma mais harmoniosa, após o esvaziamento das emoções negativas que mantinham a mente aprisionada àquele outro momento do tempo ou do espaço.
            A mente representa o princípio inteligente que comanda as funções cerebrais e, através destas,  as funções fisiológicas e físicas.
Nosso cérebro, como aparelho de expressão da mente, é um gerador de energia. As mudanças de freqüência do funcionamento cerebral correspondem a diferentes estados de consciência, nos quais se tornam possíveis as ocorrências de vários fenômenos, como os exemplificados na quadro abaixo.
           O processo de autoconhecimento inclui a exploração dos vários níveis de consciência, através dos quais diferentes potenciais podem ser expressos. No nível Beta funcionam todas as pessoas capazes de estabelecer relação com o mundo externo tridimensional, as quais diríamos que estão dentro do padrão médio de normalidade, quando em estado de vigília. O nível Alfa é atualmente bastante utilizado em processos terapêuticos, pois facilita a percepção dos processos internos (sentimentos e intuição), funcionando como um primeiro passo necessário para que os níveis mais sutis possam ser alcançados. Isso funciona como medida de garantia para que tenham acesso aos poderes mentais apenas as pessoas que já atravessaram a difícil tarefa de limpeza egóica, uma vez que o uso do poder mental sem  equilíbrio emocional conduz à loucura. No nível Teta, ocorrem importantes processos de reequilibração do sistema nervoso, pela elaboração de conflitos emocionais, através dos sonhos. Estes podem incluir a elaboração de restos diurnos (preocupações do dia-a-dia, impressões noturnas (o que esteja acontecendo no mundo físico e externo, enquanto a pessoa dorme, tais como ruídos externos, sede, frio etc.. No nível Delta, a mente consciente e o cérebro apresentam suas funções bloqueadas, enquanto a mente inconsciente  mantém seus processos ativos, ocasionando grande sofrimento ao Ser, pela impossibilidade de comunicação com o mundo externo. Através da técnica de captação psíquica, é possível entrar em contado com a mente do paciente em coma.
          Acima do nível Beta, encontramos as funções mentais superiores, pela aceleração da freqüência cerebral, permitindo que a pessoa, conscientemente, produza os fenômenos característicos desses estados mentais mais elevados, tais como captar a mente de outro Ser, deste ou de outros reinos evolutivos (elemental, mineral, vegetal, animal, humano ou angélico), em qualquer dimensão do cosmos.


Níveis
Ciclos por Segundo
Definição
Mental Dimensional
De 27 a 32
Transmutação, materialização e desmaterialização, viagens dimensionais.
Mental Físico
De 21 a 26
Fenômenos físicos (entortar metais, levitar...), telepatia.
Mental Superior
De 15 a 20
Projeção, telepatia (com pouco alcance).
Beta
De 9 a 14
Ações comuns do dia a dia; vigília
Alfa
De 5 a 8
Estado de sono não profundo, relaxamento, projeções.
Teta
De 2 a 4
Relaxamento profundo, sonhos.
Delta
De 0,1 a 1
Só o subconsciente está ativo, estado de coma.

          A Bíblia, o texto sagrado das religiões ocidentais, tanto no Antigo como no Novo Testamento, está repleta de descrições de visões. Basta lembrarmos, a título de exemplo, Jacob, Ezequiel, Daniel, David, Salomão, Paulo e João Evangelista. Mais tarde encontramos, ao longo da história do povo judeu, episódios de iluminação dos seus rabinos, através da tradição da Cabala Judaica. Os santos da Igreja Católica chegaram, na sua maioria, a estados privilegiados de graça, alcançando o chamado Reino dos Céus. Os textos de Teresa D´Avila e João da Cruz constituem verdadeiros tratados descritivos dos diferentes estágios para se chegar a estes outros níveis de consciência. Moisés no Judaísmo e Jesus no Cristianismo mostraram o caminho da consciência cósmica.

          Atualmente, como resultado do próprio processo evolutivo, vem aumentando o número de pessoas sensitivas ou capazes de alcançar estes níveis mais elevados de consciência, nas várias religiões. Apesar das diferentes denominações atribuídas por cada segmento religioso – visões, revelações, premonições, adivinhações etc. - o fenômeno é o mesmo, variando apenas a faixa de freqüência vibratória que a mente do sensitivo alcança.
            Estudos realizados na Universidade Federal de Belo Horizonte, por Pierre Weil, na década de 1970, mostram as várias possibilidades de percepção extra-sensorial, quando a mente se encontra em estado alterado de consciência:
      
10.1.      EXPANSÃO TEMPORALcapacidade da mente humana de expandir-se até outros momentos do tempo, voltando ao passado (regressão) ou lançando-se para o futuro (progressão), percebendo probabilidades de acontecimentos. Função útil para a identificação de eventos negativos sobre os quais se pode atuar mentalmente, através da transmutação da energia mal-qualificada, para reduzir ou eliminar seus efeitos nocivos.

10.2. CONSTRIÇÃO ESPACIAL – capacidade da mente humana de identificar-se com uma célula, tecido ou órgão, centros energéticos ou chacras. Função importante para identificar predisposições para doenças, que ainda se encontram no nível mental e emocional, facilitando o esvaziamento dos padrões mentais e emocionais que as alimentam.

 10.3. EXPANSÃO ESPACIAL – potencial da mente humana para expandir-se até outras dimensões do espaço, apresentando os seguintes fenômenos:

a)    Consciência de Matéria Inorgânica (mineral, vegetal e animal) –  capacidade da mente humana de captar a energia do mineral, a sensibilidade do vegetal e os instintos, os sentimentos e pensamento rudimentar do animal, bem como sua percepção em relação ao mundo humano;
b)    Identificação com Outras Pessoas (captação psíquica) – potencial da mente humana para captar, através de imagens, sons e sensações, o inconsciente de outro Ser, desta ou de outras dimensões de vida;
c)    Identificação Grupal - captação das imagens, sons ou sensações relativas a um grupo;
d)    União com toda a Vida e com toda a Criação – fenômeno perceptual em que a pessoa, livre das limitações do Ego, consegue alcançar este estado de unidade com toda a criação;
e)    Consciência Planetária – capacidade de identificação com o planeta Terra  (Gaia) ou outros planetas, em sua dimensão como Ser Vivo.
f)     Consciência Cósmica – capacidade da mente humana, em ausência total de medo da morte ou do aniquilamento, de desidentificar-se com o Ego e a Personalidade, para se perceber como parte integrante do Todo Cósmico;
g)    Experiências de Outros Universos e de encontro com seus Habitantes – potencial da mente humana para alçar-se a outros sistemas solares e galáxias, onde outras humanidades vivem seus processos evolutivos;
h)    Experiências com Seres Bem-Aventurados ou Furiosos – fenômeno de contato com os Seres Superiores da escala evolutiva, dos quais se obtém ajuda ou com Seres de baixo nível evolutivo, aos quais nos compete ajudar. Neste segundo caso, é necessária a fé inabalável e o domínio completo sobre as energias, para que não ocorram prejuízos à saúde mental dos participantes da experiência. Este é o processo necessário para a limpeza energética da Quarta dimensão do planeta Terra e será explicado detalhadamente, no decorrer deste trabalho;
i)      Experiências “Fora do Corpo Físico”, Viagens Clarividentes, Viagens Espaciais, Telepatia – capacidade da mente humana de comandar a saída do corpo eletromagnético em relação ao corpo físico, alçando-se ao espaço cósmico e comunicando-se com outras Mentes;
                 
            10.4. PROJEÇÃO (no tempo) – potencial da mente humana para perceber outras dimensões de vida, através de imagens (clarividência), sons (clariaudiência) ou ainda traduzindo estas percepções através da escrita (psicografia) ou da fala (psicofonia).
             
     A observação sistemática destes fenômenos constitui-se num foco permanente de aprendizagem sobre o mundo extra-físico e sobre a totalidade dos fenômenos possíveis à mente humana. Poderia ser objeto de interesse para os cientistas estudiosos da mente, não fosse o forte preconceito que cerca todos os fenômenos místicos, pelo medo de retorno ao fanatismo religioso.

Site: www.suelimeirelles.psc.com.br



 Texto de autoria de Sueli Meirelles, complementado com dados extraídos da pesquisa realizada por Pierre Weil na Universidade Federal de Belo Horizonte, em 1975.

A MESA DA CONCRETIZAÇÃO - Mensagem



Uma mesa somente necessita de quatro pés. Porém, a madeira é um material sujeito às intempéries do plano terreno, e assim como vós, muitas vezes colocais estacas sob o telhado de vossas casas, quando não está firme; assim como as pessoas sem recursos, muitas vezes, substituem um dos pés da cama por tijolos empilhados, dentro do Grande Plano, muitas vezes torna-se necessário providenciar estacas e pontos de apoio espiritual para aqueles que fraquejam e têm uma tarefa a realizar. Por aí podeis perceber que em nenhum momento fostes abandonados em vossos caminhos. O Mestre disse: _”Peça e obterás.” Muitas vezes pedistes e muitas vezes fostes atendidos. Em verdade, sempre fostes atendidos.
Agora é chegada a hora de mostrardes aquilo que aprendestes e que compete a cada um realizar. E para isto são necessárias, a ponderação, o equilíbrio, a harmonia, a sabedoria e todas as virtudes que gradativamente vão sendo desenvolvidas por aqueles que buscam o caminho espiritual. Esse caminho exige, acima de tudo, independência de pensamento, para que possais vos defender das influências a que estais sujeitos no plano terrestre.
Neste ponto, ela é desligada de vós e vos tornais independentes. E assim como, muitas vezes, apesar das dúvidas humanas, ela buscou a verdade dentro de si própria, cada um de vós, de hora em diante, assim deverá proceder. Este é o Meditai! Meditai! Meditai! Que tantas vezes ouvistes, e que é chegada a hora de colocardes em prática. Este é o instrumento de que dispondes para orientação de vossas tarefas. Este é o dia, espaço e horário de vossas meditações.

                                                                         FICAI EM PAZ!
                                                                            02/09/02

www,suelimeirelles.psc.com.br




[1] Mensagem canalizada através de Sueli Meirelles