domingo, 20 de julho de 2014

CRIAÇÃO E EVOLUÇÃO - Artigo


                   CRIAÇÃO E EVOLUÇÃO
(*) Sueli Meirelles
            De forma natural e espontânea, a maioria das pessoas busca respostas para suas indagações sobre o surgimento da vida no planeta, sobre a Presença de Deus, tendo como contrapartida as últimas descobertas científicas, muitas vezes gerando ainda mais dúvidas. Como vivemos num plano de dualidade, logo surge a tendência para a oposição de conceitos e não, para a sua integração. Nesse contexto, as pesquisas da Psicologia Transpessoal podem muito contribuir, a partir da observação dos fenômenos psicoespirituais, facilitando a dissolução dos conflitos conceituais criados pela dualidade da mente humana. Em relação a esse tema, a Academia de Ciência dos Estados Unidos assim se pronuncia, muito mais tomando partido, do que esclarecendo o assunto:
“Hoje, muitas denominações religiosas aceitam que a evolução biológica tem produzido a diversidade dos seres vivos ao longo de bilhões de anos da história da Terra. Muitas emitiram declarações observando que a evolução e os princípios de sua fé são compatíveis. Os cientistas e teólogos têm escrito sobre a eloquência, espanto e admiração na história do universo e da vida neste planeta, explicando que eles não veem nenhum conflito entre sua fé em Deus e na evidência da evolução. As confissões religiosas que não aceitam a ocorrência de evolução tendem a ser aqueles que acreditam na estrita interpretação literal dos textos religiosos.”

            Em meio a tantas polemicas geradas pela separatividade do pensamento humano, reportamo-nos às pesquisas de fenômenos psicoespirituais realizadas nos últimos 27 anos, associadas ao estudo comparado de diferentes Tradições Religiosas, história, lingüística e psicologia transpessoal, num movimento de síntese resultante da ATH-Abordagem Transdisciplinar Holística em Psicoterapia. Eis o que temos encontrado, no inconsciente profundo de mais de 2.600 pacientes, com relação à história da humanidade:
            Uma partícula do Divino ou Monada desprende-se do Todo que é Deus e vibra no Reino Elemental, na forma de alma-grupo, constituindo as forças da natureza (terra, ar, fogo, água), como simples energia. Ao se condensar, adquire a forma de matéria e evolui no Reino Mineral, do carbono bruto às pedras preciosas. Ao acrescentar sensibilidade, entra no Reino Vegetal, e evolui das ervas daninhas às orquídeas. Posteriormente, entra no Reino Animal e desenvolve instinto, sentimento e pensamento rudimentar, evoluindo das feras aos animais domésticos. Terminada essa etapa evolutiva, a alma-grupo se individualiza e entra no Reino Humano, desenvolvendo aparelho fonador, neocórtex (parte do cérebro responsável pelo pensamento criativo), evoluindo do homem primitivo aos Mestres, subordinando suas Personalidades (desejo material, sexual, desejo de poder e apego afetivo) parte nominada e existente apenas entre o nascimento e a morte, ao comando da Individualidade inominada e eterna, composta pelos níveis psíquico, intuitivo e essência espiritual. Saindo do ciclo reencarnatório, os Mestres evoluem para o Reino Angélico, retornando à Casa do Pai.
A descida do Divino para o plano material constitui o processo de involução; a subida do plano material para o divino constitui o processo de evolução. Dessa forma a Criação Divina comanda o processo evolutivo, através dos milênios, em todo o Universo, através de um longo processo de aperfeiçoamento e sobreposição de camadas de complexidade, em diferentes expressões e formas de vida. Em nosso próprio corpo, temos a representação de todos esses níveis evolutivos: Temos a energia dos elementais, os minerais, o sistema vegetativo (sistema nervoso), o instinto do reino animal e o livre arbítrio que adquirimos, ao entrarmos no reino humano, como seres pensantes e co-criadores com Deus. Assim, compreendemos a beleza do Plano Divino, que inclui todo o conhecimento científico, à medida que a humanidade evolui e se torna capaz de compreende-lo, em toda o seu esplendor e perfeição.
           
(*) Especialista em Psicologia Clínica e Pesquisadora de Fenômenos Psicoespirituais. Membro do Cit-Colégio Internacional de Terapeutas e da ALUBRAT-Associação Luso Brasileira de Psicologia Transpessoal.